NOTÍCIAS

Série revê escritores paraenses

13/11/2011

(Foto: )

A cena já é comum para quem busca nas prateleiras das principais livrarias da cidade. Encontrar um autor paraense consagrado é tarefa quase impossível. A maior parte dos escritores tem as obras esgotadas. Os sebos, que vendem livros usados, são o caminho natural. Mas nem eles conseguem dar conta dessa demanda reprimida. A nova série que o DIÁRIO lança a partir dessa semana diminuirá o tamanho dessa lacuna. É o “Pará de todos os Versos, de todas as Prosas”.

A série faz parte do projeto Orgulho de Ser do Pará, uma bandeira em prol do que o estado tem de melhor e que vem sendo levantada pelo DIÁRIO envolvendo todos os aspectos positivos que o estado possui.

EM LIVROS

“O Pará de todos os Versos, de todas as Prosas” vai reunir dez escritores paraenses de peso, como Ruy Barata, Max Martins, Vicente Salles, Bruno de Menezes, entre outros, que serão reeditados em edições especiais pelo jornal.

“Ainda estamos fechando todos os nomes”, diz o jornalista Elias Pinto, coordenador de conteúdo do projeto. “Mas a ideia é fazer chegar ao leitor do jornal textos de autores que já fizeram história na literatura paraense”, diz ele.

A receita será diversificada. Poesia, romances, livros de pesquisa e até a estréia em livro de Elias Pinto, que reunirá crônicas publicadas no DIÁRIO. Uma das cerejas desse bolo literário será a reedição de ‘Antilogia’, de Ruy Barata, incluindo, segundo Elias Pinto, o inacabado poema “Nativo de Câncer”.

“Uma questão complicada é que se diz que a literatura paraense é pouco conhecida do público, mas a grande questão é que não se encontram os livros. As grandes obras não são achadas pelos leitores”.

Segundo Pinto, a proposta do projeto é justamente a de aproximar o leitor de jornal desses autores. “Muitos são conhecidos apenas pelo nome. Essa vai ser uma oportunidade boa para que passem a ser conhecidos também pela obra”.

Para ter acesso aos livros, o leitor do DIÁRIO deverá colecionar um cupom por dia e, ao fim de uma semana, trocar pelo exemplar correspondente. A ideia é que 10% da edição vá para a família dos escritores.

“O jornal vai trazer ao público os grandes poetas, os grandes pesquisadores, cronistas e romancistas do estado. Vai ser um incentivo a mais à leitura e um importante instrumento de divulgação da literatura paraense”, diz Elias Pinto.

A iniciativa do DIÁRIO é bem recebida entre autores paraenses. O jornalista e escritor Alfredo Garcia diz que a ideia deve ser parabenizada. “Qualquer iniciativa que a imprensa possa fazer para difundir a literatura e autores que são conhecidos mais no âmbito acadêmico é digna de parabéns”, afirmou.  (Diário do Pará)

MAIS NOTICIAS

CIDADE LIMPA

O Brasil do papel moeda

27/07/2014

CIDADE LIMPA

Sonhos no papel

27/07/2014

CIDADE LIMPA

O alumínio e o Brasil

20/07/2014

CIDADE LIMPA

Um coração de lata

20/07/2014